A Ciência do Bom Viver

76/185

Cantar Louvores

Que o louvor e ações de graças sejam expressos em cânticos. Quando tentados, em lugar de dar expressão a nossos sentimentos, ergamos pela fé um hino de graças a Deus. CBV 254.1

Louvamos-Te, ó Deus, pelo dom de Jesus,
Que por nós, pecadores, foi morto na cruz.
CBV 254.2

Coro
Aleluia! Toda a glória Te rendemos sem fim.
Aleluia! Tua graça imploramos. Amém.
CBV 254.3

Louvamos-Te, ó Deus, pelo Espírito, luz
Que nos tira das trevas e a Cristo conduz.
CBV 254.4

Ó, vem nos encher de celeste fervor,
De esperança e bondade, de fé, zelo e amor.
CBV 254.5

O canto é uma arma que podemos empregar sempre contra o desânimo. Ao abrirmos assim o coração à luz da presença do Salvador, teremos saúde e Sua bênção. CBV 254.6

“Louvai ao Senhor, porque Ele é bom,
Porque a Sua benignidade é para sempre.
Digam-no os remidos do Senhor,
Os que remiu da mão do inimigo.” Salmos 107:1-2.
CBV 255.1

“Cantai-Lhe, cantai-Lhe salmos;
Falai de todas as Suas maravilhas.
Gloriai-vos no Seu santo nome;
Alegre-se o coração daqueles que buscam ao Senhor.” Salmos 105:2-3.
CBV 255.2

“Pois fartou a alma sedenta
E encheu de bens a alma faminta,
Tal como a que se assenta nas trevas e sombra da morte,
Presa em aflição e em ferro.
Então, clamaram ao Senhor na sua angústia,
E Ele os livrou das suas necessidades.
Tirou-o das trevas e sombra da morte
E quebrou as suas prisões.
Louvem ao Senhor pela Sua bondade
E pelas Suas maravilhas para com os filhos dos homens.” Salmos 107:9, 10, 13-15.
CBV 255.3

“Por que estás abatida, ó minha alma,
E por que te perturbas dentro de mim?
Espera em Deus,
Pois ainda O louvarei.
Ele é a salvação da minha face
E o meu Deus.” Salmos 42:11.
CBV 255.4

“Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” 1 Tessalonicenses 5:18. Esta ordem é uma certeza de que mesmo as coisas que nos parecem ser adversas contribuirão para o nosso bem. Deus não nos mandaria ser agradecidos por aquilo que nos causasse dano. CBV 255.5

“O Senhor é a minha luz e a minha salvação;
A quem temerei?
O Senhor é a força da minha vida;
De quem me recearei?” Salmos 27:1.
CBV 255.6

“No dia da adversidade me esconderá no Seu pavilhão;
No oculto do Seu tabernáculo me esconderá. ...
Pelo que oferecerei sacrifício de júbilo no Seu tabernáculo;
Cantarei, sim, cantarei louvores ao Senhor.” Salmos 27:5-6.
CBV 255.7

“Esperei com paciência no Senhor,
E Ele Se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor.
Tirou-me de um lago horrível, de um charco de lodo;
Pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos;
E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus.” Salmos 40:1-3.
CBV 256.1

“O Senhor é a minha força e o meu escudo;
NEle confiou o meu coração, e fui socorrido;
Pelo que o meu coração salta de prazer,
E com o meu canto O louvarei.” Salmos 28:7.
CBV 256.2

Um dos mais seguros impedimentos à restauração dos enfermos é o concentrarem a atenção em si mesmos. Muitos inválidos acham que todo o mundo lhes devia mostrar simpatia e dar auxílio, quando o que eles precisam é desviar a atenção de si mesmos e pensar nos outros, e deles cuidar. CBV 256.3

Muitas vezes são solicitadas orações pelos aflitos, os tristes e desanimados, e isso é correto. Devemos rogar que Deus derrame luz na mente obscurecida, e conforte o coração magoado. Mas Deus só atende às orações em favor dos que se colocam no rumo de Suas bênçãos. Ao mesmo tempo que pedimos por esses aflitos, devemos estimulá-los a se esforçar por ajudar aos que se acham mais necessitados que eles. Dissipar-se-ão as trevas de seu próprio coração enquanto buscam auxiliar a outros. Ao buscarmos confortar nosso semelhante com o conforto com que nós mesmos somos confortados, a bênção nos é devolvida. CBV 256.4

O Capítulo 58 de Isaías é uma prescrição tanto para as doenças do corpo como para as da alma. Se desejamos saúde e a verdadeira alegria da vida, devemos pôr em prática as regras dadas nesta escritura. Diz o Senhor quanto ao serviço que Lhe é aceitável e a suas bênçãos: CBV 256.5

“Não é também que repartas o teu pão com o faminto
E recolhas em casa os pobres desterrados?
E, vendo o nu, o cubras
E não te escondas daquele que é da tua carne?
Então, romperá a tua luz como a alva,
E a tua cura apressadamente brotará,
E a tua justiça irá adiante da tua face,
E a glória do Senhor será a tua retaguarda.
Então, clamarás, e o Senhor te responderá;
Gritarás, e Ele dirá: Eis-me aqui;
Acontecerá isso se tirares do meio de ti o jugo,
O estender do dedo e o falar vaidade;
E, se abrires a tua alma ao faminto
E fartares a alma aflita,
Então, a tua luz nascerá nas trevas,
E a tua escuridão será como o meio-dia.
E o Senhor te guiará continuamente,
E fartará a tua alma em lugares secos,
E fortificará teus ossos;
E serás como um jardim regado
E como um manancial cujas águas nunca faltam.” Isaías 58:7-11.
CBV 256.6

As boas ações são bênçãos duplas, beneficiando tanto o que pratica como o que é objeto da bondade. A consciência de proceder bem é um dos melhores medicamentos para corpos e mentes enfermos. Quando a mente está livre e satisfeita por um sentimento de dever cumprido e o prazer de proporcionar felicidade a outros, a animadora influência traz vida nova a todo o ser. CBV 257.1

Que o inválido, em lugar de exigir constantemente simpatia, procure comunicá-la a outros. Que o fardo de vossa própria fraqueza, dor e aflição seja lançado sobre o compassivo Salvador. Abri o coração ao Seu amor, e deixai que este flua para os outros. Lembrai-vos de que todos têm provações duras de suportar, tentações difíceis de resistir, e está em vossas mãos fazer qualquer coisa para aliviar esses fardos. Exprimi gratidão pelas bênçãos que tendes; mostrai apreciação pelas atenções de que sois objeto. Mantende o coração cheio das preciosas promessas de Deus, a fim de que possais tirar desse tesouro palavras que sejam um conforto e vigor para outros. Isso vos circundará de uma atmosfera que será benéfica e enobrecedora. Seja vossa aspiração beneficiar os que vos rodeiam, e encontrareis sempre ocasião de ser úteis, tanto aos membros de vossa própria família, como aos outros. CBV 257.2

Se os que estão padecendo má saúde esquecessem o próprio eu em seu interesse pelos demais; se cumprissem o mandamento do Senhor de ajudar aos mais necessitados que eles, haveriam de compreender a veracidade da profética promessa: “Então, romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará.” Isaías 58:8. CBV 258.1