Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes

80/292

O jardim do coração

A parábola do semeador e da semente comunica uma profunda lição espiritual. A semente representa os princípios semeados no coração, e seu crescimento, o desenvolvimento do caráter. Tornai prático o ensino a este respeito. As crianças podem preparar o terreno e semear a semente; e, enquanto elas trabalham, os pais, ou o professor, podem explicar-lhes o jardim do coração com a boa ou a má semente ali semeada; e, assim como o jardim deve ser preparado para a semente natural, deve o coração ser preparado para a semente da verdade. À medida que a planta cresce, a relação entre a semeadura natural e a espiritual pode continuar. CP 142.2

As criancinhas podem ser cristãs, tendo uma experiência de acordo com sua idade. Isto é tudo o que Deus espera delas. Necessitam ser educadas em coisas espirituais; e os pais devem proporcionar-lhes toda a oportunidade para que possam formar um caráter à semelhança do de Cristo. CP 142.3

A mente não cessará jamais de ser ativa. Ela está exposta às influências, sejam boas ou más. Assim como o rosto humano é estampado pela luz na tela do artista, igualmente são os pensamentos e impressões estampados na mente da criança; e quer sejam estas impressões terrenas, quer morais e religiosas, são elas quase indeléveis. Quando a razão está a despertar, a mente é mais susceptível; e, assim, as primeiras lições são de grande importância. Estas lições têm poderosa influência na formação do caráter. Se são do cunho devido, e se, à medida que a criança avança em anos, são seguidas com paciente perseverança, os destinos terrestre e eterno se modelarão para o bem. Esta é a palavra do Senhor: “Instrui ao menino no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.” Provérbios 22:6. CP 143.1

Pais, dai vossos filhos ao Senhor, e lembrai-lhes sempre que pertencem a Ele, que são os cordeiros do rebanho de Cristo, vigiados pelo Verdadeiro Pastor. Ana dedicou Samuel ao Senhor; e dele se diz: “E crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as Suas palavras [as palavras do Senhor por intermédio de Samuel] deixou cair em terra.” 1 Samuel 3:19. No caso deste profeta e Juiz de Israel são apresentadas as possibilidades postas diante do filho cujos pais cooperam com Deus, efetuando a obra que lhes é designada. CP 143.2

Os filhos são herança do Senhor, e devem ser ensinados para o Seu serviço. Esta é a obra que repousa sobre os pais e professores, com uma força solene e sagrada, obra de que não se poderão eximir, e que não poderão passar por alto. A negligência desta obra assinala-os como servos infiéis; há, porém, uma recompensa quando a semente da verdade cedo é lançada no coração, e é cuidada atentamente. CP 143.3

Cristo conclui a parábola: “E, quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.” Marcos 4:29. Quando a seara da Terra for recolhida, veremos o resultado de nossa labuta; pois veremos aqueles por quem trabalhamos e oramos, reunidos no celeiro celestial. Assim entraremos no gozo de nosso Senhor, quando “o trabalho da Sua alma Ele verá, e ficará satisfeito”. Isaías 53:11. — Special Testimonies on Education, 67-72. CP 144.1

*****

O trabalho da mãe parece-lhe muitas vezes um serviço sem importância. É trabalho que raramente é apreciado. Outros pouco sabem de seus muitos cuidados e encargos. Seus dias estão ocupados com uma rotina de pequenos deveres, reclamando todos um esforço paciente, domínio próprio, tato, sabedoria e abnegado amor; todavia ela não pode jactar-se do que tem feito como sendo uma realização. Tão-somente tem cuidado que as coisas no lar, corressem em boa ordem. Freqüentemente cansada e perplexa, tem procurado falar bondosamente às crianças, a fim de as conservar ocupadas e felizes, e guiar seus pezinhos no caminho reto. Ela julga que nada cumpriu. Mas não é assim. Anjos celestiais observam a mãe consumida de cuidados, notando os fardos que ela tem sobre si dia após dia. Seu nome pode não ser ouvido no mundo, mas está escrito no Livro da vida do Cordeiro. CP 144.2