Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes

30/292

Os mestres e o ensino

A verdadeira educação significa mais que um certo curso de estudo. É vasta. Inclui o desenvolvimento harmônico de todas as aptidões físicas e das faculdades mentais. Ensina o amor e o temor de Deus, sendo o preparo para o fiel desempenho dos deveres da vida. CP 64.1

Há uma educação que é essencialmente mundana. Seu objetivo é o êxito no mundo, a satisfação de ambições egoístas. A fim de adquirir essa educação, muitos estudantes despendem tempo e dinheiro em atulhar a mente com conhecimentos desnecessários. O mundo os julga homens de saber; Deus, entretanto, não tem lugar em seus pensamentos. Eles comem da árvore da ciência mundana, que nutre e robustece o orgulho. Em seu coração, esses homens se tornam desobedientes e separados de Deus; e os dotes que lhes foram confiados são postos do lado do inimigo. Grande parte da educação atual é desta natureza. O mundo pode considerá-la altamente desejável; ela, porém, aumenta o perigo do estudante. CP 64.2

Outra espécie de educação existe, bem diversa. Seu princípio fundamental, segundo é declarado pelo maior Mestre que o mundo já viu, é: “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça.” Mateus 6:33. Seu intento não é egoísta; visa honrar a Deus, e servi-Lo no mundo. Tanto os estudos seguidos como o preparo industrial buscado, têm em vista esse mesmo fim. Estuda-se a Palavra de Deus; mantém-se com Ele comunhão vital, e exercitam-se os melhores sentimentos e traços de caráter. Essa espécie de educação produz resultados tão perduráveis como a eternidade. “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria” (Provérbios 9:10), e preferível a todos os conhecimentos é a compreensão de Sua Palavra. CP 64.3

Qual será o caráter da educação ministrada em nossas escolas? Em harmonia com a sabedoria deste mundo, ou segundo a sabedoria que do alto vem? ... Os professores têm a fazer por seus alunos mais que lhes comunicar conhecimento tirado de livros. Sua posição como guias e instrutores da mocidade é por demais cheia de responsabilidade, pois é-lhes dada a obra de moldar o espírito e o caráter. Os que empreendem essa obra devem possuir caráter bem equilibrado, simétrico. Devem ter maneiras finas, ser corretos no vestuário, cuidadosos em todos os hábitos; e devem possuir aquela cortesia cristã que conquista a confiança e o respeito. O professor deve ser aquilo que deseja que seu aluno se torne. CP 65.1

Os mestres devem velar por seus discípulos como o pastor vela pelo rebanho que lhe foi confiado. Devem cuidar das almas como quem por elas tem de dar contas. CP 65.2

O professor pode entender muitas coisas com relação ao universo físico; poderá ter conhecimentos quanto à estrutura da vida animal, às descobertas da ciência natural, às invenções da mecânica; não poderá, no entanto, chamar-se educado, não é apto para seu trabalho como instrutor de jovens, a menos que tenha na própria alma conhecimento de Deus e de Cristo. Não pode ser verdadeiro educador enquanto não se tornar, por sua vez, discípulo na escola de Cristo, recebendo educação do divino Instrutor. CP 65.3